câncer de pele

Câncer de pele: diferentes formas de lesões

Você já parou para olhar sua pele e percebeu uma lesão meio esquisita, que não tinha antes, apareceu há alguns meses, que não regride, pelo contrário, está é aumentando…? Cuidado, podemos estar diante de um câncer de pele! O câncer de pele é hoje a doença maligna mais comum que existe no nosso país. Alguns fatores podem favorecer o aparecimento dessas lesões, principalmente exposição solar crônica, predisposição genética e pele clara.

Os vários tipos de lesões malignas de pele têm como características o fato de serem clinicamente variáveis e possuírem diferentes graus de agressividade. Se por um lado temos o carcinoma basocelular (CBC), lesão muito comum e indolente, que praticamente não manda metástases e demora anos para crescer e se tornar avançada, por outro temos o melanoma, lesão agressiva, grave, altamente metastática, que cresce e se espalha de forma muito rápida. Essa peculiaridade da doença a torna desafiadora em alguns casos, uma vez que pode haver semelhança clinica entre o carcinoma basocelular pigmentado e o melanoma, assim como o CBC ulcerado e o carcinoma espinocelular (CEC).

Carcinoma basocelular (CBC): esse é tipo mais comum de câncer de pele, aparecendo principalmente nas pessoas mais claras e sendo raro em peles com maior pigmentação. Ele tem como característica principal o fato de ser indolente, ter um crescimento insidioso, e estar presente em áreas do corpo expostas ao sol, como face e pescoço. Apresenta-se como lesão única, de aspecto nodular (inchaço), pequena e brilhante. De coloração quase transparente a rosada, pode apresentar vasos sanguíneos dilatados visíveis (telangiectasias) que aparecem na superfície, e o centro pode se abrir, sangrar e formar uma crosta.

Carcinoma espinocelular ou células escamosas (CEC): O CEC é o segundo tipo mais comum, costuma desenvolver-se nas zonas expostas ao sol, mas pode crescer em qualquer parte da pele ou nos lábios, principalmente o inferior. É mais agressivos que o CBC, podendo de espalhar em casos mais avançados. O CEC pode surgir na pele normal, mas é provável que se manifeste na pele danificada por lesões pré-malignas como a ceratose e queilite actínica, assim como cicatrizes de queimaduras e ulceras crônicas na pele. As características clínicas incluem aparência espessa, descamativa e irregular, mas pode ter aparências diversas. Quando aumenta, o tumor pode ficar um pouco alto e duro, às vezes com superfície parecida à superfície de uma verruga. O câncer acaba se tornando uma ferida aberta e cresce atingindo os tecidos vizinhos.

Melanoma: é o tipo mais grave, devido à sua alta possibilidade de provocar metástase (disseminação do câncer para outros órgãos). A manifestação da doença na pele normal se dá após o aparecimento de uma pinta escura de bordas irregulares acompanhada de coceira e descamação, mas pode surgir a partir de lesões pigmentadas pré-existentes, nesse caso ocorre aumento no tamanho, alteração na coloração e na forma da lesão, que passa a apresentar bordas irregulares.

Lesões pré-malignas – ceratose actínica

Nossa pele, quando exposta à radiação solar crônica e continua, pode sofrer danos irreparáveis, causando mudança no aspecto e na textura. Muitas vezes formam placas avermelhadas ou esbranquiçadas, chamadas de ceratose actínica. Sabemos que essas alterações estão sujeitas a transformações malignas, por isso a importância do tema.

Mas o que é a ceratose actínica? São lesões não malignas causadas por exposição solar intensa e cumulativa. Apesar de apenas uma pequena parcela dessas lesões evoluir para câncer de pele, devemos estar cientes que nunca devem ser negligenciadas. Portanto, o acompanhamento com especialista é fundamental.

A Ceratose Actínica é uma lesão vermelha e escamosa que surge com mais frequência em áreas de maior exposição, como o rosto, orelhas, dorso das mãos, antebraço, ombros e colo. Inicialmente são pequenas e podemos facilmente reconhecê-las pelo aspecto descamativo que apresentam, em alguns casos formando algo parecido com uma lixa. Normalmente indica que houve muito dano solar e há risco de evoluir para câncer. Lembrar que se manifesta mais em homens, principalmente de pele e olhos claros. É importante examinar a pele constantemente, e se atentar a lesões anormais, que mudem de tamanho, forma, ou textura. Algumas lesões formam uma crosta mais dura. Ficar atento que, se houver sangramento da lesão, pode ser indício de uma transformação maligna. 

Outro tipo de ceratose, mas que acontece nos lábios, é a queilite actínica. Ocorre principalmente no lábio inferior também é secundaria a exposição solar crônica, com importante potencial para transformação maligna. Geralmente as pessoas que possuem essa lesão perdem a delimitação do vermelhão do lábio, podem ter uma boca mais brancacenta e seca, gerando às vezes uma sensação de ardor. Deve-se atentar para a ocorrência de sangramento, pois pode ser sinal de alerta para câncer. Ocorre mais nos lábios inferiores devido a maior incidência de radiação solar e pessoas mais velhas, pois o dano é cumulativo. Alguns pacientes com queda da imunidade podem ter maior risco de transformação maligna.

Portanto, fica o alerta! Alterações na pele em áreas continuamente expostas ao sol podem apresentar lesões pré-malignas. Procure um especialista.

O que deseja encontrar?

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on google
Share on twitter
Share on email
Share on whatsapp